Atividade 25.7

Atividade 25.7

Atividade 25.7

7. (grafema) – “som” (fonema), a letra cursiva e seu nome para o “som” (fonema) /f/.

.

Nos métodos multissensoriais você começa com os conceitos mais simples e mais frequentes e, a seguir, passa para os menos frequentes e mais difíceis. Em geral, se trabalha com uma só correspondência “letra” (grafema) – “som” (fonema) em cada lição.

No português, para a leitura, só existe uma correspondência para o grafema “f”: é o fonema /f/. Inversamente, para a escrita, também só existe uma correspondência para o fonema /f/: é o grafema “f”. Trata-se, portanto, de uma relação biunívoca e, consequentemente, uma das relações mais fáceis para alfabetizar, devendo ser uma das primeiras.

.

Então, agora, vamos ensinar a primeira correspondência através de métodos multissensoriais:

– Modalidade auditiva. Primeiro, você apresenta oralmente aos alunos cinco palavras ou mostre-lhes cinco ilustrações com palavras que incluam /f/. Por exemplo: faca, flor, cofre, café, fala. Depois, faça uma análise fonológica, perguntando-lhes qual o som que aparece em todas as palavras, repetindo-as devagar, se for necessário. Você também pergunta onde está o som na palavra e você pode se deter explicando que o “f” aparece combinado com “r” e “l” na mesma sílaba. Não é conveniente, neste momento, explicar que o “f” pode vir depois de “n”, no meio da palavra, porque este último, neste caso, só funciona como til (~), para nasalizar (por exemplo em “ninfa”).

– Modalidade visual. Utilizando as mesmas palavras, mostre-as agora visualmente, pedindo-lhes que mostrem a “letra” correspondente ao som [f].

– Cinestésico-manual. Peça à criança para escrever <f>, tanto num pedaço do tapete ou no ar e, depois, várias vezes em escrita cursiva, conforme o modelo. A seguir, que a trace 2 ou 3 vezes com os olhos fechados, concentrando no movimento da mão, dizendo-lhe que acompanhe o traçado, emitindo sempre o som [fff].

– Cinestésico-oral. Peça aos alunos para concentrarem-se na garganta e boca e para descreverem a posição do lábio inferior contra os dentes superiores, quando eles dizem [fff]. Se você já lhes ensinou o som [v], podem comparar estes dois “sons”, colocando a mão na garganta e notando que a posição do lábio inferior contra os dentes superiores é a mesma para os dois sons, mas para o [v] a garganta vibra e para o [f], não.

.

Depois de você alcançar o cartão que inclui o <f> de imprensa, tanto em maiúscula quanto em minuscula, peça às crianças para fazer um pequeno desenho do que a palavra-chave representa, do outro lado do cartão. Este cartão poderá ser usado mais tarde tanto em classe quanto em casa, durante a “revisão do bloco de leitura”.

Você reforça as associações feitas, pedindo-lhes que circulem (para “caçar”) o grafema numa série de palavras escritas. Isto significa localizar. Todas as vezes que circularem o grafema alvo, deverão emitir o respectivo som. Então, pergunte-lhes se podem ouvir o som [f] numa série de palavras que você vai dizer e, caso positivo, onde se encontra na palavra. Eles deverão ter cartões com a palavra escrita que está sendo emitida, devendo, simultaneamente, apontar a(s) letra(s) que o representam. Trata-se de percepção auditiva e de análise fonológica.

Finalmente, dê-lhes um cartão que contenha a representação do som (em colchetes [ ]), a(s) letra(s) que representa(m) o grafema em escrita cursiva e a palavra-chave correspondente. Este cartão, poderá ser usado mais tarde tanto em classe quanto em casa, durante a “revisão do bloco de leitura”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − 4 =